14 de dezembro de 2013

chegando ao fim...

Aos poucos vou fechando o ciclo do blogspot.
Vou iniciar uma nova etapa em outro endereço.

12 de dezembro de 2013

Resiliência

Resiliência - por Cátia Pereira Garcia
“A nossa maior glória não é nunca cair, mas levantarmo-nos de cada vez que caímos.” 
Confúcio 
Na atualidade é muito comum surgirem situações imprevistas e inéditas, em que se sucedem exigências cada vez maiores. Nestes contextos, ou se sabe sobreviver e recuperar o equilíbrio na instabilidade existente ou se sucumbe às contrariedades. Segundo o Dicionário da Língua Portuguesa, resiliência de carácter é a habilidade de voltar rapidamente para o seu habitual estado de saúde ou de espírito, depois de passar por dificuldades. 
Boris Cyrulnik define resiliência da seguinte forma: uma pérola é o resultado da reacção da ostra à agressão de um grão de areia. Tal como a ostra tem a capacidade de transformar um áspero grão de areia em algo valioso, também o ser humano perante um acontecimento marcante e sofrido, poderá descobrir capacidades que desconhecia e revelar uma enorme força perante situações que à partida só poderiam conduzir à fraqueza. Perante um trauma ou um choque, seja ele provocado por uma catástrofe da natureza ou em consequência da violência humana, é possível que o indivíduo reaja de duas maneiras: ou se torna vítima, ficando com dificuldades de adaptação e com patologias psíquicas ou se torna resiliente. A resiliência é a capacidade de correr contra ventos e marés e de saber lidar com a adversidade. 
resiliencia- cita Cyrulnik  
A resiliência é como um elástico que poderá ser esticado quase até à sua rotura e uma vez ultrapassada a situação anterior, está apto para regressar à sua forma inicial. Assim a pessoa ganha segurança para ultrapassar obstáculos, procurar novas experiências, saber mais sobre si próprio e ligar-se de forma mais forte aos outros. 
O conceito de resiliência teve origem na engenharia, mas tem sido explorado pela psicologia, que o define como a capacidade do indivíduo resistir às dificuldades. 
Em termos de engenharia, este conceito consiste na capacidade de resistência dos materiais à adversidade. Na física, é a propriedade pela qual a energia é armazenada num corpo deformado e devolvida, quando cessa a tensão causadora duma deformação elástica. E em psicologia, este termo aparece ligado ao conceito de traumatismo psíquico e aos recursos internos que permitem ultrapassar um determinado acontecimento traumatizante (guerra, doença, morte de um familiar, agressões físicas, etc.). 
Vários autores têm estudado a resiliência e todos concordam que esta é constituída por três factores: 

Capacidade que permite enfrentar
adversidades de forma positiva 
Capacidade que envolve ativamente
mecanismos de proteção 
Faz parte de um processo evolutivo que pode ser
promovido em todas as fases do ciclo vital 
Algumas das aplicações da resiliência num indivíduo são as seguintes: 

Reencontrar um novo sentido para a vida, estar recetivo a novas experiências e poder atingir novos desafios 
 

Superar as consequências decorrentes de acontecimentos traumáticos na infância ou na adolescência: lutos violentos, divórcio dos pais, doenças do próprio ou de alguém próximo, maus-tratos, etc. 
 
Vencer dificuldades comuns do dia-a-dia: desentendimentos com amigos, familiares ou com o "chefe", uma despesa imprevista, etc
“Resiliência e invulnerabilidade não são termos equivalentes”. 
Zimmerman e Arunkumar 
Poderá considerar-se a resiliência uma combinação de factores que propiciam condições para enfrentar e superar as adversidades. Este êxito irá depender dos traços da personalidade, das relações sociofamiliares e dos factores culturais do indivíduo. Para Boris Cyrulnik, a reação perante as agressões externas dependem essencialmente de três factores: aquisição de recursos interiores desde os primeiros anos de vida, a forma como o trauma é assimilado e os suportes institucionais que servem como apoio. Assim, a alegria, a empatia, a força interior e a competência social são muito importantes na construção da resiliência e adaptação a situações adversas. 
Então o que explica que perante os mesmos acontecimentos, algumas pessoas consigam ultrapassá-los e outras ficam aprisionados com eles? Segundo Marie Anaut, o indivíduo resiliente concilia três características: bom desenvolvimento da auto-estima, aptidão para encontrar aspectos positivos face aos problemas e possibilidade de se apoiar em experiências pessoais, familiares ou sociais positivas. Também um bom quociente de inteligência, autonomia, eficácia, empatia, adaptação, sentido de humor, capacidade de planificação e de percecionar o próprio valor são alguns dos traços identificados em indivíduos resilientes. 

Pessoas resilientes: 
Usam os recursos internos para lidar com os acontecimentos negativos, sem se sentirem mal (chegar atrasado a uma reunião importante, argumentar com o chefe, etc.) 
 
Pessoas não resilientes: 
Esperam que alguém defina as regras e que lhe transmita o que fazer. Este tipo de comportamentos gera uma motivação superficial e os resultados do seu trabalho tendem a ser uma resposta às solicitações dos outros

Poderemos converter os traumas e o sofrimento em motor de vida. A melhor altura para um indivíduo começar a ser resiliente é quando está perante uma situação difícil. As pessoas resilientes possuem algumas características: 
 Relações afetivas satisfatórias; 
 Êxito profissional; 
 Possuem hobbies e formas para si agradáveis de ocupar os seus tempos livres; 
 Cuidam bem de si próprias; 
 Acreditam num futuro promissor. 

ESTRATÉGIAS E FERRAMENTAS PARA UMA BOA RESILIÊNCIA 

Aceitar: é essencial aceitar o acontecimento negativo e focar-se no que pode mudar. 
Dar tempo: para existir uma cicatrização é necessário passar por uma fase de luto 
Envolver-se: o apoio dos outros é muito importante. Cultive e envolva-se nas relações sociais e familiares e tente não os “contagiar” com a sua dor e frustração 
Mudar de perspetiva: mude a forma de lidar com os acontecimentos marcantes, encarando o futuro como uma fase que será mais positiva. Não fuja às decisões e estabeleça objetivos 
Ser positivo: a adversidade poderá contribuir para o desenvolvimento pessoal. Terá que acreditar em si e nas suas capacidades, mantendo uma atitude positiva. 
Reencontrar-se: pense em si e no que realmente precisa e envolva-se em atividades que lhe darão prazer 
“Ninguém jamais alcança um sucesso muito notável simplesmente a fazer o que se exige dele. É o grau de excelência do que está além do exigido que determina a grandeza. A diferença entre o ordinário e o extraordinário é o extra!” 
Charles Kendall Adams 

COMO SE TORNAR UMA PESSOA RESILIENTE? 

Mentalize-se do seu projeto de vida, pois mesmo que não o possa colocar imediatamente em prática, sonhar com ele reduz a ansiedade 
Desenvolva confiança em si próprio 
Saiba dizer não assertivamente. Comunique de forma clara, concisa e concreta 
A prática de exercício físico contribue para a sensação de ânimo e bem-estar 
O lar é um ponto de apoio para a recuperação: mantenha-o em harmonia 
Ampliar conhecimentos aumenta a autoconfiança. Seja otimista e proactivo 
Esteja aberto a novas aprendizagens e oportunidades: entreajuda é importante 
Tenha a coragem necessária para assumir riscos 
Faça uma separação clara de quem você é do que você faz 
Apure o seu sentido de humor 
Seja criativo: quebre a rotina 
Permita-se sentir dor, recuar e ser flexível quando necessário 

E O QUE É A RESILIÊNCIA ORGANIZACIONAL? 

É a capacidade que uma organização tem de responder de forma rápida e efectiva a uma mudança que não estava prevista. A resiliência organizacional poderá levar ao desenvolvimento das organizações que conservam estruturas clássicas e localizadas, para estruturas deslocalizadas e centradas nas pessoas, possibilitando-lhes trabalhar a qualquer hora em qualquer lugar. 
Todas as organizações que tem como objectivo ter sucesso numa época de desafios, incertezas e pressões económicas, sociais e tecnológicas necessitam ser resilientes. 
Uma organização resiliente possui algumas características próprias: 
 Flexibilidade; 
 Responsabilidade; 
 Proatividade; 
 Resistência ao stress; 
 Estrutura baseada no conhecimento; 
 Capacidade de adaptação; 
resiliencia- cita Cyrulnik2
 Capacidade de recomeçar quando os resultados não são os esperados; 
 Rapidez na resposta a novas situações. 

Autor: Cátia Pereira Garcia
Revisão: Isabel Gonçalves e Lúcia Coelho 

11 de dezembro de 2013

953.2 Amo muito tudo isso!!!!

De uns tempos para cá tenho ficado a mercê do precário transporte público da capital federal.
Onde moro o ônibus passa de hora em meia em hora em meia. Aos finais de semana não há como ir ao centro de Brasília, ou plano piloto, sem pegar pelo menos duas conduções.Enfim... bem fácil!
Desde que fiquei sem meu carro tenho vivido essa situação. Confesso que no primeiro dia chorei muito com a minha filha em meus braços aguardando embaixo da parada, na chuva, por aquele que me traria de volta para casa. 
Quando consegui subir no ônibus, depois de esperar uma hora por ele, entendi que havia um propósito nisso tudo.
As pessoas estavam felizes e sorrindo depois de um longo dia de trabalho. Cada uma delas, provavelmente com seus problemas riam e faziam gozação com tudo e  as menores coisas e circunstâncias.
Sim, eu apreensiva em saber que ainda precisaria andar muito do ponto até minha casa e sem saber ao certo o trajeto que ele faria (dá a volta no bairro todo até chegar minha casa, sou a última passageira a descer), mas fui agraciada com uma oração. Era o agradecimento de todos pela semana que vivemos.  É a Lucy que puxa essa oração.  Não me recordo de nem um dia em meu carro agradecer por ter passado bem a semana e de poder estar voltando para casa mais uma vez. Lembro sim, de uma pessoa nervosa e rabugenta reclamando que ninguém dirigia direito nessa cidade.
Sim, cheguei em casa, meu bebê dormia em meus braços, cansada pela jornada puxada e por tantas voltas que o "baú" como se chama aqui no DF deu até podermos chegar na entrada do condomínio.
Mas.... chegamos!!! Inteiras e cheias de novas histórias para contar.
Isso aconteceu há uns 7 meses mais ou menos, mas parece que foi ontem porque voltar para casa com essa galera tem sido muito, mas muito bom!!!
Depois vou contar outras histórias...


22 de novembro de 2013

Amor amor!

De Karl Marx para sua esposa Jenny von Westphalen

“Meu amor, enquanto nos separa um espaço, estou convencido de que o tempo é para o meu amor como o sol e a chuva são para uma planta: fazem crescer. Basta você ir, meu amor por você apresenta-se a mim como ele realmente é: gigantesco; e nele se concentra toda minha energia espiritual e toda a força dos meus sentidos …. Você vai sorrir, meu amor, e te perguntarás por que eu caí na retórica. Mas se eu pudesse pressionar contra o meu coração o seu, puro e delicado, guardaria em silêncio e não deixaria escapar nem uma só palavra.”





Apaixonar-se faz com que o colorido das coisas fique ainda mais intenso!

20 de novembro de 2013

A loucura é saudável!

" Não se curem além da conta. Gente curada demais é gente chata. Todo mundo tem um pouco de loucura. Vou lhes fazer um pedido: Vivam a imaginação, pois ela é a nossa realidade mais profunda. Felizmente, eu nunca convivi com pessoas ajuizadas". 

"É necessário se espantar, se indignar e se contagiar, só assim é possível mudar a realidade..."


Nise da Silveira


18 de novembro de 2013

Hoje e nada mais!



“ Passado, presente e futuro devem coexistir harmonicamente na mente humana. Quando um deles é priorizado e os demais são totalmente esquecidos, surge alguma espécie de desequilíbrio, ou, no mínimo, a hipótese de que algo não está correto, não está bem. Viva cada dia de uma vez. Não deixe de viver bem o hoje, em prol de um futuro que pode nem chegar. Se está infeliz no presente, busque motivos para se contentar com o que tem nele. Não viva sonhando com o que terá num tempo incerto que ainda nem chegou e, quiçá, nem chegará."


Machado de Assis

16 de novembro de 2013

Os sonhos

Sonhar acordado é motivar-se a viver.



Quem não sonha não tem perspectivas ou metas a serem realizadas.
Temos sonhos que possíveis e impossíveis, mas são eles que nos pulsionam a acordar todos os dias e descobrir que precisamos correr atrás de alguma coisa.
Algumas vezes os sonhos possíveis ficam momentaneamente em PAUSE!
Talvez porque no dia em que ele venha a ser realizado seja muito mais frutuoso do que no momento em que achamos que ele deveria acontecer.
Eu sonhei com muitas coisas que já se foram sem ao menos existirem, recebi outros presentes que nem mesmo sonhei um dia e celebrei por isso.
Eu passei o ano de 2013 sonhando com um Pausa no que estava vivendo e buscando um novo caminho.
A maturidade me proporcionou um pouco mais de calma. Se fosse há um tempo, teria arrumado as malas e me mandado com minhas docinhas embaixo do braço, sem pensar em consequências ou qualquer outro pormenor.
Mas pedi que as forças e as energias me dessem luz sobre o melhor caminho e mesmo a contragosto meus sonhos, pelo menos nos próximos 3 anos precisam ficar adormecidos.
Por quê? Não sei! Confesso, bate um enorme aperto no peito em não ver os meus desejos atendidos, mas... me resta respeitar, entender e esperar o que vem por ai!


Com a certeza de que algo positivo aconteça, fico por aqui... aguardando!
Mas os sonhos não podem morrer!

15 de outubro de 2013

Dia do professor - um protesto!!!

Hoje é dia 15 de outubro, dia do professor
Tenho orgulho da minha profissão e a escolhi, não foi falta de opção ou escolha pelo curso mais barato do mercado.
Temos direito a aposentadoria especial, não porque temos mordomia, mas porque temos uma profissão cansativa, levamos MUITO trabalho para casa, estamos em contato permanente com muitas doenças, ficamos estressadas e temos em nossas mãos uma grande responsabilidade.
Nos meus tempos de escola não ousávamos dizer que havíamos ficado de castigo na escola. Nossos professores eram autoridade, autoritários sim, mas se respeitavam e eram respeitados.
Sonho com uma escola criativa, bem humorada, e principalmente respeitada!
Vamos combinar, não entro no banco e digo ao gerente que aquela taxa de juros está alta e que ele precisa diminui-la para mim. Não digo a ele que a agencia tem que abrir às 6 da manhã porque é a minha necessidade.
Por que então as famílias acham que a escola é a extensão da casa delas? Por que acreditam que podem dizer ao professor como devem atuar?
Professor não é animador de festa. Para ser bom não precisa de fantasiar e ficar inventando showzinho para agradar os alunos.  Uma boa aula é  dada com materiais didáticos adequados, amor, conhecimento e respeito. Não precisa de palco nem de fantasia. Precisa de estudo, de planejamento, de conhecimento do assunto.
Professor não é babá, com todo repeito a categoria. É ofensivo dizer ao professor que trouxe o aluno porque não tinha com quem deixar. Sim, ofensivo! Não somos cuidadores, somos educadores!!!!
Não somo nós devemos dizer aos nossos alunos que não se deve levar o que não é seu para casa, que se deve repeitar os mais velhos, que horário é para ser cumprido. Isso deveria ser aprendido em casa, a escola apenas reforçar. Mas não é isso que vemos hoje.
Professor é um profissional! Que forma, educa, informa, que motiva o aluno a buscar conhecimentos, que apresenta o mundo aos seus alunos, que reinventa, cria, constrói aprendizagens.
Professor sim , tia não! Como já escrevia Paulo Freire.
Pouco se vê na mídia as agressões físicas e verbais que os professores de escolas públicas e particulares vem sofrendo todos os dias. E elas acontecem e não são poucas. Os dados são alarmantes! Sem contar os que precisam ficar calados para manterem seus empregos.
Por fim, ser professor não é sacerdócio. Precisamos sim de salários dignos!!! Como ser digno com uma hora- aula base em torno de 6 reais? Com esse dinheiro há qualificação profissional? Mal podem se manter em pé!
Enfim, o dia do professor poderá ser comemorado o dia em que voltarmos a ser uma categoria de valor !

Sou professora sim, com orgulho!

10 de outubro de 2013





Por viver muitos anos dentro do matoModa ave
O menino pegou um olhar de pássaro -
Contraiu visão fontana.
Por forma que ele enxergava as coisas
Por igual
como os pássaros enxergam.
Manoel de Barros

7 de outubro de 2013

Poemas

Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.
Fernando Pessoa


Fiz um acordo com o tempo...nem ele me persegue, eu fujo delequalquer dia a gente se encontra e,dessa forma, vou vivendointensamente cada momento..Mario Quintana

6 de outubro de 2013

Conto: memórias de amor I

   Acordou saudosa lembrando de um tempo há tempos deixado para trás. Um tempo em que seu corpo ainda não carregava as marcas das lembranças nem sempre tão boas. As dores musculares eram só porque havia dançado muito na noite anterior.
   Lembrou de quando sua maior preocupação era a escolha do curso universitário ou que roupa vestir naquela noite para encontrar os amigos.
   Olhou com firmeza para suas mãos e entendeu que cada linha que ali insistia em se desenhar tinha uma história. e em especial uma veio a sua mente, seu primeiro amor. 
   Um menino nem tão bonito, afinal suas espinhas pareciam muito maiores que sua beleza, mas ela sabia que, no fundo, morava um belo rosto. O que mais a encantava era a vivacidade e a "malandragem" do rapaz. 
   Estudavam na mesma classe, mas trocavam poucas palavras e olhares intensos. Ele, aluno do fundão, repetente e quase nunca copiava a lição, assim tinha motivos para estar mais próximo a amada, o caderno que podia levar para casa e sentir o perfume dela,  a firmeza dos dedos em cada traçado, o desenho perfeito de cada letra. Sim, esse era o mais próximo que podiam estar juntos. 
   Ela sabia que seu caderno estava ao alcance das mãos do amado, que ficava próximo ao seu corpo enquanto ele o levava para casa e que seu olhar o fitava atento a cada linha copiada.
   O que será que acontecia com esse caderno quando se fazia presente nas mãos de seu amado? Será mesmo que ele o usava para copiar o que intencionava? Ou  que o mantinha fechado sem nem mesmo lembrar que ele estava ali? 
  Um dia desafiou sua timidez e escreveu em um pedaço de papel, não um papel qualquer, mas sua melhor folha de papel de carta e  colocou no meio das folhas seguras pela brochura.

 De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
 


Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa dizer do meu amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dur
e.
Vinícius de Moraes

   Esperava ansiosamente o dia seguinte para descobrir se ele havia visto o poema e se havia entendido quem era o destinatário, por fim, se havia resposta.
   Dormir foi difícil, pois seus pensamentos se mantinham na brochura e nas repostas as suas intenções.
   O relógio despertou e o coração batia forte. No caminho da escola, que parecia mais longo que o habitual, ela não desligava seus pensamentos.  A escadaria que levava ao segundo andar parecia mais alta. 
  Lá estava ele com um largo sorriso no rosto ao lado de seus colegas. Os olhares se cruzaram e ela entendeu a mensagem.
  Ele levanta-se, devolve o caderno e lhe agradece.
  Ela queria abrir a brochura naquele momento, mas a ansiedade bloqueava a ação. Se manteve ali, quase que em estado catatônico, tentando não lembrar que ali podia haver a resposta ao seu amor.
  
   Ainda hoje,  guarda em sua caixa de memórias uma folha nem tão bonita quanto seu papel de carta, na verdade uma olha arrancada de um caderno antigo:

Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre.
Cecília Meireles
 Karina Moschkowich

3 de outubro de 2013

Não preciso, então partilho

Quando postei o texto sobre o Jardim de Infância foi porque ele é atual e verdadeiro.
Embora o tenha lido em, digamos 1800 e bolinhas, no meu Curso Normal, cada dia que passa ele torna-se mais atual. 
É na escola, na infância onde aprendemos tudo sobre a vida. E eu sou agraciada com a possibilidade de ter perto de mim tanta energia boa vinda de meus pequenos alunos.
Episódio de hoje: se tenho e não preciso, partilho.

Ajustando a sala para que pudéssemos prosseguir para uma próxima atividade, ouço:
--- Toma "www 1" esse dinheiro é seu e minha mãe mandou eu devolver.
Chamo os dois em particular e pergunto o que houve? O valor em questão eram cinco reais.
A menina, www 2 me diz:
--- Professora, ontem a " www 3" não tinha lanche e www1 me deu dois reais para ela comprar o lanche para ela, depois ele me deu esses cinco reais. Ai eu disse a ele que não era certo ele me dar dinheiro porque esse dinheiro era dele, mas ele insistiu e disse que era para que eu ficasse com ele.
Sim, a dispensei da conversa.
Www1 argumenta:
--- Mas eu já tinha usado para que eu queria, comprei meu lanche. Esse dinheiro sobrou e achei que elas iriam precisar, então dei para elas.
Encurtando a história, conversei com ele sobre o que e como partilhar. Ele entendeu e pegou o dinheiro de volta.
Mas como não se emocionar com alguém que diz que se não preciso, por que não dividir?
 Www1 é um menino dotado de muita sabedoria e de um espírito fraterno como todos nós deveríamos possuir, ou no mínimo, buscar luz que clareasse nossos pensamentos e ações, que nos impulsionasse a acumular apenas o necessário e descartar o supérfluo.
Como dizia Manoel de Barros

Sou hoje um caçador de achadouros da infância. Vou meio dementado e enxada às costas cavar no meu quintal vestígios dos meninos que fomos.

Vamos cavar vestígios de infância em ações do ai-a-dia, assim poderemos viver em um mundo cheio de boas  ações.

1 de outubro de 2013

Preciso ser mais livre

   Todos os dias na nossa escola fazemos uma roda de conversa. É o momento de discutirmos variados assuntos, algumas vezes temas livres e outras direcionado ou por uma notícia de jornal, um poema, um livro ou um assunto do conteúdo escolar.

    Voltando um pouco ao um passado breve. Na semana passada assistimos a uma excelente vídeo conferência no Portal Educacional sobre JOGOS ELETRÔNICOS, VIOLÊNCIA E FORMAÇÃO DE VALORES NA INFÂNCIA  http://www.educacional.com.br/escolas/administra/publicacao/novo/GaleriaVisualiza.asp?id=530458 que foi interessante, estimulante e muito sugestiva, principalmente a nós, pais, dessa geração.

     Voltando a roda de conversa. Um aluno, 8 anos, relata seu final de semana e diz que havia um combinado com a família que quando se reunissem na chácara do vovô, seria o final de semana sem eletrônicos. Achei a proposta bem interessante, até porquê estava inserida a TV nesse pacote.

     Ele continua dizendo que sua mãe saiu e quando retornou descobriu que o irmão mais velho não havia cumprido com o combinado e sendo assim, a semana deve estaria vetado qualquer tipo de eletrônico.


     Até ai, tudo bem. Mas escute o relato do menino. Ai professora, achei que eu andava muito preso e precisava ficar mais livre, então vou fazer companhia ao meu irmão nesse castigo e vou ficar a semana sem eletrônicos. Acho que vou pegar uns jogos de tabuleiro que estão guardados para gente jogar.

     Fiquei pasma com a maturidade desse menino em perceber o eletrônico como uma prisão, como algo que o impede de aproveitar outros momentos de laços com a família.

    Nada contra a tecnologia,afinal é através dela que podemos nos conectar nesse momento, mas muitas vezes passa do sadio para tornar-se algo além do limite da capacidade de dizer não. Na palestra ouvimos sobre casos que a família precisa alimentar a pessoa enquanto ela joga, caso contrário não ingere alimentos, outras que defecam e urinam na calça para não pararem de jogar.
   
     Vamos tentar associar os benefícios da tecnologia para que possamos nos tornarmos mais livres, longes das amarras do isolamento e da falta de bom senso do razoável.

um beijo doce,

30 de setembro de 2013

bom dia!




Poesia não é para compreender, mas 
para 
incorporar
Entender é parede: procure ser árvore.Manoel de Barros



Que a nossa semana seja cheia de alegrias, boas energias e muita Fé !

29 de setembro de 2013

Hare Krishina

Bem pequena eu ia passear com meus pais  e me recordo do feitiço que os Hare Krishina me envolviam.
Achava as vestimentas lindas e o perfume que exalavam eram bem apreciados por mim.
Antes mesmo de conhecer o Mantra de Nando Reis, me lembro do meu pai cantarolando a música em nossa casa. Não sei bem o porquê ele fazia, mas talvez estivesse buscando, inconscientemente, uma tranquilidade.
Já adolescente, andando de metrô no Rio de Janeiro, invariavelmente, eu os via com aquela espécie de colar de bolinhas fazendo suas orações. E ficava ali, olhando por muito tempo e admirando aquela calma e tranquilidade. Na verdade, os invejava porque nosso mundo nos leva a viver o oposto disso.
Li algumas  coisas e vi uma reportagem de uma comunidade, acho que em Parati- RJ. E todas as vezes ficava bem emotiva e a achar que precisava me encontrar, não exatamente nessa religião/filosofia, mas com algo que me desse uma suposta tranquilidade e esperança, na verdade busca de Fé.
Enfim...hoje, depois de muito tempo sem ir a um dos meus paraísos, a torre de Tv, fui até com umas meninas lindas, entre elas a Emília.
Confesso que não me lembro de ver Hare por lá em todas as vezes que já fui. 
Caminhando ele veio em minha direção, me ofereceu um livro e eu não titubiei em adquiri-lo, até porque Alice logo tomou de minhas mãos e foi contando a história que supostamente estava escrita, leitura dela.
Mas ele olhou pra mim e me sugeriu:
--- Você não quer fazer a adaptação da história de Hare para crianças? Assim teríamos um livro acessível a elas e ainda não encontramos alguém que possa faze-lo. 
Fiquei muda e minha cabeça deu mil voltas. Como assim? Por que eu a escolhida? Como sabe que gosto de escrever? Como sabe que lido com crianças?
Ele completa.
--- Você escreve? É de que área?
--- Sou pedagoga.
--- Nossa, que legal! faça isso pra gente?
--- Só não assumo o compromisso agora porque meu tempo anda escasso, mas estou com muita vontade.
Ele me deu o papel sobre como entrar em contato com ele e disse que aguardaria para fazer o trabalho.
É ou não um chamado para me lembrar da fé?

26 de setembro de 2013

Foto e arte

Adoro arte, de todo tipo. Das mais simples as mais rebuscadas e elitistas.
Um dia volto a estudar sobre o assunto com afinco.

Meu irmão Alex Moskow é fotógrafo. Não, artista! Um fotógrafo artista, ou um artista fotógrafo.
Só sei que sou apaixonada pelo que ele produz.

Estava tendo agora a pouco, com ele, uma aula sobre esse segmento da arte. O que é arte na fotografia e o que representa a foto jornalismo.
O que é uma foto manipulada?  Então a questão que ele lança: " em uma cena com árvores, flores e cavalo. Foco a árvore e clico. É manipulada? Se desloca o foco em um só elemento, por que não? Quem vê a imagem através da foto, saberá que ali haveria um cavalo?

Minha opinião: o que importa é o registro, a história, o interesse e p envolvimento entre fotógrafo e as relações afetivas lançadas a partir do momento em que estabeleceu-se a comunicação entre o foco e a representação de um olhar. O processo em que a criação foi concebida passa a ser secundária a medida que salta aos olhos a imagem materializada.

Sim, sou leiga e apenas uma interessada em conhecer um pouco mais sobre o assunto. Mas me permito opinar.

E você, o que acha sobre o assunto?

23 de setembro de 2013

Caminhar na areia

Caminhar ou correr na areia da praia, seja na parte mais compacta de areia molhada ou na areia seca e fofa, trazem os mesmos benefícios de caminhar ou correr em pistas ou esteiras, tendo como benefício extra causar menor impacto nas articulações, quadris, tornozelos e coluna.
Este tipo de caminhada ou corrida ainda trabalha o equilíbrio e como toda caminhada ajuda a diminuir a gordura abdominal, mesmo a profunda que se aloja nos órgãos.
Caminhar na Areia
Os pés tem pontos importantes usados na reflexologia correspondentes a vários órgãos do corpo e andar descalço na areia ou na grama massageia estes pontos além de recarregar o corpo com a energia telúrica e elimina a eletricidade estática que, por vezes, faz você tomar choque em maçanetas, no carro etc.
De certa forma aprece que andar descalço realmente descarrega energias negativas e estagnadas e nos enche de vitalidade e bem estar.
Acrescentando a isto a vitamina “D”, do sol, e o iodo da brisa marinha este exercício proporciona uma verdadeira renovação de energia.
Se você só tem hábito de caminhar de tênis e em lugares planos deve tomar cuidado e ter atenção para não pisar em falso podendo causar torção no tornozelo.
De toda forma nossos tênis, pistas asfaltadas e esteiras são aquisições bem modernas enquanto a caminhada era de fato por milênios a forma de irmos de um lugar a outro, o que segundo consta, proporcionava uma vida mais saudável e uma nova interpretação do tempo.

Bom dia!!!

Que esse dia seja animado!!!


22 de setembro de 2013

Comentários


Por favor deixem seus comentários!
É legal eu saber quem esteve por aqui e o que achou.
Beijocas doces!



21 de setembro de 2013

O Jardim de |Infância


tudo o que aprendi foi no jardim de infância




Grande parte do que eu realmente preciso saber sobre a vida, o que fazer, como ser, eu aprendi no jardim da infância. Não foi na universidade nem na pós-graduação que eu encontrei a verdadeira sabedoria, e sim no recreio do jardim da infância. Foi exatamente isto que aprendi: compartilhar tudo, brincar dentro das regras, não bater nos outros, colocar as coisas de volta no lugar onde as encontrei, limpar a própria sujeira, não pegar o que não era meu, pedir desculpas quando machucava alguém, lavar as mãos antes de comer, puxar a descarga do banheiro.

Também descobri que café com leite é gostoso, que uma vida equilibrada é saudável e que pensar um pouco, aprender um pouco, desenhar, pintar, dançar, planejar e trabalhar um pouco todos os dias, nos faz muito bem. Tirar uma soneca todas as tardes, tomar muito cuidado com o trânsito, segurar as mãos de alguém e ficar juntos, são boas formas de enfrentar o mundo. Prestar atenção em todas as maravilhas e lembrar da pequena semente que, um dia, plantamos em um copo de plástico. As raízes iam para baixo e as folhas iam para cima mas ninguém realmente sabia nem porquê.

Mas nós somos assim! Peixinhos dourados, hamsters e ratinhos brancos; e até mesmo a pequena semente do copo de plástico, tudo morre um dia. E nós também. Tudo que você realmente precisa saber esta aí. Faça aos outros aquilo que você gostaria que eles fizessem para você. Amor, higiene básica, ecologia e política contribuem para uma vida saudável.

Penso que tudo seria melhor se todos nós - o mundo inteiro - tomássemos café com leite todas as tardes e descansássemos um pouquinho abraçados a um travesseiro. Ou se tivéssemos uma política básica em nossa nação e em todas as coisas também, para sempre colocarmos as coisas de volta ao lugar onde as encontramos, limpando nossa própria sujeira. E ainda é verdade que, seja qual for a idade, - o melhor é darmos as mãos e ficarmos juntos!

Dia da Árvore



Ah suas sombras,
sua formosura, seu silêncio.
Quando há vento,
ouve-se sua voz a fazer dançar suas folhas pelo ar.
A correria das cidades 
não nos permite apreciar sua beleza,
mas quem precisa fazer longas caminhadas
nas jornadas do dia-a-dia
sabe bem o valor de uma sombra pra refrescar
e a travessia reiniciar.


 Que plantem mais árvores, e, principalmente cuidem das que já temos!