20 de julho de 2012

Lembrançasss

Meu aniversário está chegando e todo ano acho que meio sem querer começo a fazer retrospectivas.
Acho bem legal, afinal me lembrar de coisas me faz bem.
E lamento por quem não lembra da infância  ou mesmo de coisas que já viveu. Lembrar é bom até do que não foi tão bom, pois ensina a viver o que vem pela frente.

Lembrei de:
Aprender bordado com uma tia que ninguém sabia que ela tinha essa habilidade, tia Regina.
Fazer fuxico com um monte de mulheres e minha avó Célia lá em Marataizes.
De fazer biju de flor de miçanga com uma menina do prédio em que minha avó morava lá no Leblon.
De fazer colar de folha de revista com a Zildinha.
De plantar as onze horas da minha avó Eurydice nos potinhos de margarina dela e vender (geralmente para ela mesma).
Comprar muito doce na Dona Jorgina e comer tudo com ajuda da minha avó Eurydice.
Querer que meus pais ficassem com os filhos de uma senhora que sua casa pegou fogo e ela não tinha como cria-los.
Vender biju da Hermes.
Estudar muito no caderno de produção de texto e no caderno de verbos.
Montar peteca com  a galera da rua para uma fábrica.
Andar muuuuuuuiiiiiiitttttooooo de bicicleta.
Nunca brincar de casinha e brincar de pique qualquer coisa e queimada.
Pular no meio fio trocando os pés.
Comer fruta do ´pé na casa do vovô.
Almoço no mesão da casa do vovô Nazário.
Festa de fim de ano na casa do vovô Moisés com o hino dos times tocando ao fundo.
Ensinar meu irmão caçula a ler.


Talvez eu lembre de tanta coisa porque não tinha Ipad, celular e o final do mês custava a chegar...... tudo era mais difícil para ganhar e por isso tinha tanto valor.

3 comentários:

Fabiana Tardochi disse...

Seja bem-vinda a blogosfera!
Lembrar faz a vida parecer mais leve e é super saudável.
As crianças de hoje realmente não sabem o que a gente fazia de gostoso na nossa infância.
Os meus filhos nasceram já nas eras tecnológicas, cercados de máquinas, mas sempre ensinei que andar descaço, mexer na terra, brincar de esconde-esconde e queimada é legal. O meu mais velho hoje já é um homem prestes a se formar na Universidade.
O meu mais novo ainda brinca na rua e é uma delícia ver isso.

Um beijo e um ótimo final de domingo

Saron disse...

AH COMO É BOM LEMBRAR NÉ?EU MESMO TEM BOAS LEMBRANÇAS DA INFANCIA...AS RUINS A GENTE DEIXA PRA LÁ, MAS AS BOAS VALEM APENA SEREM LEMBRADAS.BJOS

brigadeiro de papel disse...

Saron e Fabiana,
obrigada pela visita.
Adorei os comentários e sinto por nossos filhos não usufruirem desse lado bom da infância.
Por isso tantos especialistas (fono, psicólogo, psicopedagogo...).
mil beijinhos doces,
Karina